Os Dançarinos

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Semântica

...
- Só sei que nós nos amamos muito...
- Por que você está usando o verbo no presente? Você ainda me ama?
- Não, eu falei no passado!
- Curioso né? É a mesma conjugação.
- Que língua doida! Quer dizer que NÓS estamos condenados a amar para sempre?
- E não é o que acontece? Digo, nosso amor nunca acaba, o que acaba são as relações...
- Pensar assim me assusta.
- Porquê? Você acha isso ruim?
- É que nessas coisas de amor eu sempre dôo demais...
- Você usou o verbo 'doer' ou 'doar'?
- [Pausa] Pois é, também dá no mesmo...

122 comentários:

  1. Doer e doar no amor são sempre uma verdade. E nem sempre acontece para as pessoas que merecem. Leva tempo pra gente aprender a fazer a coisa certa com as pessoas certas.
    abs

    ResponderExcluir
  2. Gian, que belo texto! Criativo e muito verdadeiro. Nunca tinha pensado sobre o verbo amar, e não é que você está certo?

    Quanto a doar e doer, felizmente, nem sempre caminham juntos, mas isso é o que eu acho. Doar-se no amor é fato, doer é coisa de... sei lá... sorte? Ou como bem disse o Daniel, de ser a pessoa certa.

    Adorei o texto!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Amei!

    Sou fascinada na nossa língua portuguesa... rsrs

    Ai o amor...

    ResponderExcluir
  4. Perfeito!!!

    Um lindo final de semana pra vc!!

    beijo

    ResponderExcluir
  5. Gian querido, to sempre de olho nas coisas que voce escreve. São lindasssssssssss.
    Amor, doer...andam juntos, eu acho.
    Mas faz parte do amor, tem sempre os dois lados caminhando juntos.
    Nem por isso deixa de valer a pena..amar, doar e doer.

    Um abraço gigante!!

    ResponderExcluir
  6. Uaaaau!
    Que bela "definição" pro amor...
    Concordo contigo, estamos condenados a amar para sempre, mas nem sempre a mesma coisa ou a mesma pessoa. Sem o amor não há vida.
    Para amar é necessário doar, doar uma parte de si mesmo, doar seus sentimentos. E doer, ah, doer faz crescer!

    Beijos, Gian.

    ResponderExcluir
  7. No wonder we often get confuse when it comes to heart matters! :)

    ResponderExcluir
  8. Ah Gian, Gian!!
    Como eu vibro com este jogo de palavras!! E vc, com essa overdose de sensibilidade, sabe como fazer isso e muito bem!!
    Amar, doar, doer... Tudo acontece tipo "efeito dominó" e nâo necessariamente nesta ordem! Às vezes, é da dor que nasce o amor...
    Outras, é no doar que se descobre o amor, e por aí vai...
    Mas são 3 verbos imprescindíveis a qq ser humano!!
    Dorei mesmo!!
    Gosto de vir aqui!
    Ando com acesso restrito à Internet, daí o meu sumiço!!
    Bj meu!
    Helô

    ResponderExcluir
  9. No final, tudo dá no mesmo, mas a gente adora complicar o começo e, principalmente, o meio. Charme puro, nada além disso.

    * Será que os amores nunca, nunca acabam? Ideia perturbadora, essa. Não sou boa em lidar com plurais...eu acho.

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  10. Não há nada a ser esperado. Nem desesperado.

    =*

    ResponderExcluir
  11. Pois é...
    Realmente dá no mesmo!

    *-*

    ResponderExcluir
  12. Você me lembrou Caio F.
    Gostei. Seguindo...

    ResponderExcluir
  13. Gostei do texto, e adorei o getinho.

    Beijinhos
    sonhadora

    ResponderExcluir
  14. Em qualquer ritmo que a palavra for dançar, haverá sempre de significar amor.
    Beijo

    ResponderExcluir
  15. Afinal.. não é só o coração que nos prega peças! O Português tbem é campeão nisso!
    rsrs
    Bjos... lindo o texto!

    ResponderExcluir
  16. É Gian ,no amor o jogo das palavras é um vale-tudo onde tudo vale. Perfeito e conciso seu modo de fazer este poema onde o pouco diz tudo.Obrigada pela visita .

    ResponderExcluir
  17. Gian
    Lindo, você faz um trabalho muito lindo no seu blog, fiquei muito feliz que você foi visitar meus "delírios". Já faz algum tempo que sigo seu trabalho, vou passar a deixar minha presença registrada aqui.
    Um beijo
    Denise

    ResponderExcluir
  18. Oi, obrigada pela visita.

    Também está na fase dos diálogos rsrs Esse combina com minhas vozes.

    Conjugar verbos é tão difícil quanto conjugar relacionamentos, desejos, amores, vontades....

    ResponderExcluir
  19. Seu blog é para ser lido com calma. Pretendo voltar. Mas ando me perdendo nesse mundão de blogs.

    bom final de semana.

    ResponderExcluir
  20. Pensar que o amor nunca acaba é um tanto assustador, mesmo. Será que tende ao infinito?

    E quando doer > doar, o que pode dar de errado quando esta expressão faz parte da equação amor?

    Nem tão lógica quanto semântica, amor simplesmente não faz sentido...

    ResponderExcluir
  21. Todos deviam começar com um primeiro amor: O amor-próprio. Ele é o indício de uma alta opnião sobre nós mesmos. E o fato de alguém poussuí-lo, vai demonstrar sua verdadeira personalidade.

    Obrigada pelos comentários.
    A recíproca é verdadeira.


    Um abraço poeta.

    ResponderExcluir
  22. Que genealidade, que explosão de duplo sentido. O amor tomou essa vida de dois lados e segue nos confundindo, nos complicando, nos mantendo enrolados. O amor fica porque ele não tem mais pra onde ir, ele apenas vive a nos cercar e nos dominar, mas as relações, bem, elas se vão em alguma hora e é essa ida que nos magoa mais e não o fim do amor como dizemos por aí. Adorei!

    ResponderExcluir
  23. Oi Gian,

    Adorei a filosofia semântica em tom de conversa branda.Que dói em quem doa lá isso dói!

    Tem um recadinho prá vc lá no www.cristinasiqueira.blogspot.com

    Beijos,

    Cris

    ResponderExcluir
  24. Bom texto Gian, nossa língua sempre a nos pregar peças :)

    ResponderExcluir
  25. já respirei tanto amor, que hoje me falta ar.

    ResponderExcluir
  26. aposto no presente (?).
    que é e que passa.

    ResponderExcluir
  27. Microconto? Não sei viu, mas que genial, interessante jogo de palavras. Quando crescer quero escrever assim...Parabéns Gian estou te esperando no Lágrimas, sorrisos e sutilezas, meu blog. Valeu.

    ResponderExcluir
  28. Olá Gian!

    Parabéns pelo blog e pelo texto!

    Tão curto e com uma mensagem tão profunda!
    Gostava de ter o teu poder de sintese...
    Oxalá, se me visitas, te sintas tão bem como me senti por aqui!
    O meu blog é escrito em dois idiomas... o espanhol e o português...

    Um beijo de Portugal!

    ResponderExcluir
  29. Adorei a dança das suas palavras.
    E só o que não muda é o amor...

    ResponderExcluir
  30. Otimo!!
    A pena é que as vezes a gente demora demais pra entender que é assim, que sempre vai ser assim, que isso é uma consequencia da nossa humanidade.
    Dessa vez falei pouco :) rs
    Bjão

    ResponderExcluir
  31. Oi Gian, realmente o coração é um ótimo conselheiro, mas ás vezes mentiroso. Obrigada por passar no meu blog, espero mais visitas suas...Bjos!

    ResponderExcluir
  32. adorei o texto, voltarei pra ler os próximos!

    ResponderExcluir
  33. Haja folego pra ler-te. Seus textos excitam!

    Adorro!

    Beejo,boa semana!

    ResponderExcluir
  34. Nossa, que texto foda.
    Pois é, também dá no mesmo..

    ResponderExcluir
  35. Muito lindo o texto!
    O amor tem dessas coisas...dá sempre no mesmo!
    Doar em algum momento vai doer nem que seja por um instante...
    Parabéns!
    Amar->Doar->Doer..andam juntos!
    Beijo
    :)

    ResponderExcluir
  36. Estas armadilhas que a própria linguagem nos apresenta são bastante interessantes. Muitas vezes, é a partir daí que se conclui: 'não era exatamente o que quis dizer', embora, já dito.

    Teus escritos se diferenciam.
    abraços

    ResponderExcluir
  37. E por falar em lingua portuguesa. será que o amor tem conjugação...
    Acho que não. Bjos achocolatados.

    ResponderExcluir
  38. Tudo bem ?

    Parabéns, seu blog merece, que venha por aqui muita vezes.

    Afinal, não temos tantos bons textos com estes seus à nossa disposição.

    Caso queira me visitar, meu blog é de humor.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  39. A vida é sempre cheia dessas ambíguidades! E nós sempre acabamos enroscados nelas (:

    Muito bacana.

    ResponderExcluir
  40. Gian,

    que conteúdos fantásticos estou encontrando por aqui!

    Vi teu blog no blog de minha amiga Ilaine, e vim, sugestionada pelo título...

    Para mim, as palavras dançam, e tb possuem muita FORÇA e PODER!!!

    Parabéns, amigo!

    Sucesso sempre. Lógico que voltarei.

    ResponderExcluir
  41. Que lindoo...
    Adorei o trocadilhoo com o português!
    :**

    ResponderExcluir
  42. mas q belo 'dialogo' hein, realmente faz sntido tudo isso, q acontec n quotodiano sem entendermos o trocadilho das palavras x) bom post

    ResponderExcluir
  43. Cara, descobri seu Blog aqui por acaso... Que bela brincadeira com as palavras, viu? Você é um baita escritor (nenhuma novidade pra você, não é?), sinceramente o melhor Blog que eu já vi em termos de comunicação coerente e carregada de sentimento... Se quiser, passa lá no meu também... Ah, belo post...

    ResponderExcluir
  44. Adorei! Muito criativo. E vc está certíssimo :D Beijos!

    ResponderExcluir
  45. Meu paradoxo, muito prazer...

    Sorrisos e lágrimas, algumas vezes ao mesmo tempo.
    Superações e mágoas andaram de mãos dadas em sua maioria.
    Desafios e surpresas nem sempre superados e tão agradáveis assim.
    Infinitas dúvidas e certezas, uma perfeita e delicada simbiose.
    Um pedido: que os melhores sentimentos simplesmente permaneçam onde estão.

    Simplesmente Outono.

    ResponderExcluir
  46. Oi Gian,

    Simplesmente lindo!
    Parabéns!
    bjs
    Mari

    ResponderExcluir
  47. E por falar em gatos...vou dormir ...

    Beijos,


    cris

    ResponderExcluir
  48. Adorei o texto! Sempre haveremos de doer e doar, e se for verdadeiro o sentimento mantem-se sempre...

    Também tenho uma gata preta :) beijo

    ResponderExcluir
  49. Ah, que bela sacada!

    Provocou sorrisos do lado de cá.

    "- É que nessas coisas de amor eu sempre dôo demais..."

    Pois, é.

    Ó, abraço grande e espero que apareça
    no meu blog! E, claro, goste!

    *Estou lhe seguindo.

    ResponderExcluir
  50. Querido Gian,
    Doer...doar...talvez passado amado..quem sabe não,doer igual amor...amor não é doer...será um pingo na letra..de qual letra né? mas doer é doar...uma alma...duas melhor seria,doendo e doando no verbo amar.
    Carinho sempre Lúcia Amorim

    ResponderExcluir
  51. Semântica!
    A sensibilidade já faz parte de você.

    ResponderExcluir
  52. Meu Deus, me encontrei nesse pequeno diálogo!

    ResponderExcluir
  53. Moço, quando cresçer quero ser como você. Magnífico seu texto!

    ResponderExcluir
  54. Adorei...estou fascinada pelo universo dos blogs...ñ tenho um, e só agora comecei a acessá-los. Parabéns pelo seu trabalho, pela arte q produz com as palavras, assim como pelos sentimentos q vc, enquanto escritor, desperta em nós. É a minha primeira visita ao seu blog. Vou te add no orkut, ok?
    1000 bjss,
    Izabelle.

    ResponderExcluir
  55. Incrível análise da relação humana e da nossa lingua rsrsrs

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
  56. Vc escreve maravilhosamente...este seu texto esta divino..parabens!!!!!!!!!!!!!abraços ...

    ResponderExcluir
  57. Sou apaixonado pelas palavras, e saber manipula-las é arte, e arte que esta escancarada neste post!

    Abração!

    ResponderExcluir
  58. Certezas assustadoras, contundentes além do suportável. Magnitude: palavra perfeita visto tamanha grandeza de sentimentos. Corroboro com evidente verdade. Em determinado momento da história a vida nos impõe o seu basta esgotando toda e qualquer possibilidade de lutar contra. Perdermos as forças e involuntariamente abrimos a guarda. Assim, um dilema foi estabelecido. Saudade, muuuuita saudade das tuas letras. Com extremo carinho e respeito do mesmo Outono de sempre.

    ResponderExcluir
  59. Nossa.
    eu nunca tinha parado para pensar nisso.
    Nessa relação de "amamos" no passado e no presente seream a mesma forma,
    muito interessante.
    Texto inteligente, você explorou mt bem o assunto, adorei a forma que fez essa relação, muito intelegente, a forma que aplicou no contexto, o jogo com as palavras, tudo. amei !
    parabens !

    ResponderExcluir
  60. UAU! :O
    eu precisava ler isso hoje...
    rapaz, quanta habilidade com as palavras e como você foi sensível ao usá-las, ao formar esse diálogo incrível. Agradeço imensamente as batidas aceleradas do coração e a sensação de puro êxtase que ficou após a leitura.


    Beijo, de luz.

    ResponderExcluir
  61. Que lindo texto!!! Adorei seu blog. Estarei sempre por aqui. Amo as palavras e acredito na sua força. Parabéns!

    ResponderExcluir
  62. Por onde anda o moço das letras, da música?
    Esse texto merece ser lido algumas dezenas de vezes simplesmente por se tratar de uma verdade rasgada e que a maioria não se dá conta ou só passa a enxergá-la depois de te descobrir. Cada vez que leio sou capaz de gostar ainda mais.
    Com muito carinho e respeito, Simplesmente Outono.
    Ps.: precisei mudar o e-mail do blog, onde em breve estará recebendo meu endereço novo.

    ResponderExcluir
  63. depende!!! Tem gente q interpreta do jeito completamente diferente. Cuidado, o ser-humano é foda! As vezes uma única palavra pode ser dita e "mal"dita muitas vezes. Uma unica virgula pode mudar tudo! belo texto

    ResponderExcluir
  64. Olá Gian! Hoje é terça-feira, uma correria. Não repare em minha visita relâmpago, mas venho lhe convidar para ler o novo capítulo de “O Diário de Bronson (O Chamado)” e deixar o seu comentário.

    Retornarei com melhores modos e mais tempo. Tenha uma ótima semana. Abraço do Jefhcardoso!

    ResponderExcluir
  65. Amor e Português se misturando. Coisa louca pra explicar que as vezes sofrer = amar .

    ResponderExcluir
  66. Olá Gean,,
    me encantei por este lugar.
    O português e o amor têm suas armadilhas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  67. Postei algumas poucas palavras ou quem sabe até fiz de minha estação o meu confessionário.
    Quando puder leia e se quiser, fique à vontade para registrar o teu pensamento.
    Minhas folhas com carinho, SEMPRE!
    Simplesmente Outono.

    ResponderExcluir
  68. Genial!
    Lindo lindo, não canso de vir aqui...
    Tenha uma semana iluminada!
    Beijo

    ResponderExcluir
  69. Olá Gian! Esta semana estou divulgando uma “nova” postagem. Trata-se de um conto; que na verdade vem a ser uma reedição de meu blog. Sua postagem original ocorreu em 13.02.09; sendo esta a minha terceira postagem no blog. Naquela ocasião este texto não recebeu nenhum comentário. O texto é “O Sr. e o Dr.”. Espero que você, tendo um tempinho, o aprecie.
    Um grande abraço, minha gratidão e desejo que tenha uma ótima semana!

    Jefhcardoso

    ResponderExcluir
  70. Desculpe a invasão, mas eu tenho uma ótima notícia!

    O Blog Amor, Mistério e Sangue está estreando sua primeira promoção!!!

    O prêmio para o vencedor é o primeiro volume da Série "A guerra das Sombras"

    O Livro de Dinaer
    Para mais informações sobre o livro
    http://www.aguerradassombras.com/dinaer.html

    Você não pode perder essa super promoção!!!
    http://amormisterioesangue.blogspot.com/2010/04/primeira-promocao-do-amor-misterio-e.html

    Bjs e boa sorte!

    ResponderExcluir
  71. oi lindo amei teu blog e espero que continues a amar lado a lado um do outro no presente e futuro porque o passado já se foi um beijinho bom fim de semana beijos

    ResponderExcluir
  72. Oi gostei muito do seu texto, visite o meu blog e o meu texto, obrigado desde já.

    ResponderExcluir
  73. Saudade dos teus olhos sobre minhas letras. Espero por tua visita, ansiosamente.
    Com carinho e folhas secas.
    Simplesmente Outono.

    ResponderExcluir
  74. Ótimo texto!
    Adorei a forma de abordar a conjugação dos verbos em narrativa.

    Obrigada por seguir o Sook, também estou te seguindo!

    ^^

    xoxo

    ResponderExcluir
  75. li e reli. faço questão, quando gosto muito de algum escrito. e esse, particularmente, me chamou muita atenção.

    ResponderExcluir
  76. A nossa língua

    por vezes

    é traiçoeira...

    Um abraço

    ResponderExcluir
  77. Recebi uma surra delas um dia desses, foi inesperada e dói até agora. Lateja, arde, queima, sangra tudo ao mesmo tempo. Preciso que doa n'alma para que eu aprenda, dores superficiais de nada me servem e nada me ensinam.
    Em algum momento as palavras se predestinam a bater. Já apanhou delas? E uma surra de verdades bem no meio da cara, já aconteceu? Responda no Outono.
    Te espero ansiosamente.
    Com muito carinho.
    S. Outono

    ResponderExcluir
  78. Você me fez perguntar se é realmente possível amar
    Digo isso me referindo ao outro
    Mas amor e doação são de fato intrínsecos
    Tanto é que perdoar é uma doação total, por inteiro
    Por isso digo
    Quem ama se doa
    Quem ama perdoa

    Abraço do Filopatia

    Vou seguir teu blog.

    ResponderExcluir
  79. So resta-em dizer: SAUDADE! E de fato em letras além de GARRAFAIS, rsrsrs!
    Apareça.
    Com muito carinho.
    S. Outono.

    ResponderExcluir
  80. Só resta-me dizer: SAUDADE! E de fato em letras além de GARRAFAIS, rsrsrs!
    Apareça.
    Com muito carinho.
    S. Outono.

    ResponderExcluir
  81. Adorei o jogo de palavras, e o texto e contexto.


    bjs

    ResponderExcluir
  82. repetitivamente, um brinco, um bibelô!

    ResponderExcluir
  83. Não sei se já escreveram... mas aki reverberação:
    As palavras e suas conjugações são complexas, mas não conseguem expressar os nossos sentimentos.
    Uma visita...
    abços

    ResponderExcluir
  84. Gostei muito do teu blog!
    Inteligente, elegante ... delicioso.
    Se puder visita meu cantinho, estou á sua espera ...
    Estou te seguindo, não quero te perder de vista rsssss.
    Bjs doces!

    ResponderExcluir
  85. Hahaha Muito bom. De verdade! Faz tempo que quero parar aqui e ler um pouquinho...hoje consegui \o/

    Adorei!

    Seus textos são demais!

    ResponderExcluir
  86. Apareça. Saudade.
    Adoro tuas visitas no Outono.

    ResponderExcluir
  87. Olá,
    Tive contato com o teu blog no Batom e Poesias.
    Agora vim conhecê-lo e seguí-lo.
    Desde já és convidado a visitar o meu.
    Saúde e felicidade.
    João Pedro Metz

    ResponderExcluir
  88. Texto novo te esperando, o que acha?
    Ter teus olhos sobre minhas letras será sempre um infinito prazer. Espero-te ansiosamente.
    Com carinho, S. Outono.

    ResponderExcluir
  89. Portanto, amar se conjuga no gerúndio, pois a continuidade da doação de afeto independe de circunstâncias fáticas.
    Viva a complexa estrutura do idioma, que permite ambiguidades tão belas.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  90. Adoro a lingua portuguesa, e essas particularidades e similaridades me fascinam.
    beijinhos

    ResponderExcluir
  91. kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    A polissemia existente na nossa língua acaba criando infinderas possibilidades de interpretação...Parabéns pelo post e pelo blog!

    ResponderExcluir
  92. Eu prefiro acreditar que o nosso amor a gente inventa pra se distrair e quando acaba a gente pensa que ele nunca existiu...

    ResponderExcluir
  93. Olá Gian,
    Passei para conhecer seu blog e achei muito interessante.
    Nosso português costuma nos pregar peças. Muitas vezes nos deixa de saia justa.rsrs. Essa língua é muito doida mesmo.
    Fique bem.

    ResponderExcluir
  94. É interessantissimo como as mesmas palavras podem ter diferentes significados e mesmo quando o sentido é claro, dependendo do tempo pode ser totalmente diferente, uma verdade absoluta pode virar em questão de dias piada. Adorei teu blog!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  95. Percepção incrívelmente poética.
    Parabéns pelo teu espaço!

    Abraço

    ResponderExcluir
  96. ' Leitura gostosa.!
    descontraída, dhewuhduwed
    Amei.!
    ^^

    Abraço.

    ResponderExcluir
  97. Vou roubar essa frase pra mim:
    "amor não acaba, o que acabam são as relações"
    Descreve o que passo, neste momento.


    Texto delicioso!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  98. Bem, depois de maravilhosos comentários, falar o quê, não é? E é preciso, então peço a tua permissão para postar no meu blog e com direito a foto, inclusive, com os devidos créditos, sem dúvida.
    forte abraço

    ResponderExcluir
  99. Para mim serviu como luva, afinal para que facilitar se podemos complicar?!
    ...
    Quanto tempo Gian!! Como vc está? Tudo bem?
    Nossa!! Só hj que vi um comentário seu no único post do meu blog... =$
    Vou escrever mais, hehe!
    Bjão

    ResponderExcluir
  100. E vem essa reforma pra bagunçar tudo, ainda mais...

    ResponderExcluir
  101. e isso é o mais bonito do amor: seu constante movimento.

    ResponderExcluir
  102. Nossa! Encaixei-me direitinho aqui.
    Pura verdade...
    Seguindo seu blog.

    ResponderExcluir
  103. Foi o vento eletrônico que me trouxe até aqui... Nossa você é um verdadeiro "pé de valsa" na dança das palavras! Eu gostei muito. Parabéns, seus textos são incríveis. Eu me identifiquei, muito mesmo. Beijos do Acre.

    ResponderExcluir
  104. Puxa!!! rs.... Sou seu fã. admirável os textos por aqui

    ResponderExcluir
  105. Ah!, a querida língua portuguesa ..

    Seguindo-te desde jáh .

    Sucesso (yn)

    ResponderExcluir
  106. As ambiguidades do português...E do amor! Será que o que é amor acaba mesmo? Ou se acabou é pq não era amor?

    ResponderExcluir